23 de setembro de 2016

Adriano Galdino diz que não é subserviente ao governador

Adriano Galdino foi entrevistado por Denise Delmiro no JPB 1ª Edição (Crédito: Reprodução/TV Paraíba)

Candidato Adriano Galdino foi entrevistado por Denise Delmiro no JPB 1ª Edição (Crédito: Reprodução/TV Paraíba)

O candidato a prefeito de Campina Grande, Adriano Galdino (PSB), criticou a gangorra entre os grupos políticos que se revezam na prefeitura há décadas, negou que lidere uma oligarquia política no município de Pocinhos, onde foi prefeito por três mandatos, frisou que não é subserviente ao governador Ricardo Coutinho e confirmou que seu candidato a vice-prefeito Inácio Falcão (PT do B) está de licença médica, mas continua na campanha. As declarações foram feitas durante entrevista ao JPB 1ª edição, da TV Paraíba, afiliada da Rede Globo, nesta sexta-feira (23), quando respondeu às perguntas da jornalista Denise Candidato Delmiro.

Oligarquia

Na abertura da entrevista, Adriano foi indagado por Denise Delmiro se não era uma incoerência criticar as oligarquias políticas em Campina Grande se, em Pocinhos, ele foi prefeito por três mandatos, ajudou a eleger um sobrinho e agora sua esposa, Eliane Galdino, disputa a prefeitura. Ele respondeu que o conceito de Oligarquia pressupõe poder político e econômico. “Eu não tinha poder econômico nem minha família tradição política. Eu venci os dois grupos políticos de Pocinhos”, afirmou o socialista. Segundo ele, a conjuntura de Pocinhos é diferente de Campina, onde os grupos integrados pelos candidatos Romero Rodrigues (PSDB) e Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) e não resolvem os problemas da cidade, pois usam a prefeitura com trampolim político.

Crise hídrica

Ainda durante a entrevista, Galdino foi perguntado porque não fez gestão junto governo do Estado para resolver a crise hídrica de Campina Grande, uma vez que é aliado e do mesmo partido do governador Ricardo Coutinho (PSB). Ele ressaltou que, ao assumir a presidência da Assembleia Legislativa, criou a Frente Parlamentar das Águas com vistas à luta pela conclusão das obras da Transposição do Rio São Francisco e a abertura do 3º e 4º turnos de trabalho para acelerar os trabalhos. “O governo federal é que tem a solução com as obras da transposição”, disse Adriano que ainda falou da sua relação com o governador: “Eu sou amigo, mas não sou subserviente a ninguém. Se necessário, eu vou cobrar do governo”.

Segurança

Por conta da relação estreita com o governo, Adriano Galdino também foi indagado sobre a sua postura em relação à insegurança na cidade. “Tenho levado esta preocupação ao governador sobre a segurança pública dentro de um contexto nacional”, revelou. Ele disse que a prefeitura deve ampliar a guarda municipal, equipá-la e fazer parceria com a Polícia Militar, além de melhorar a iluminação da cidade. “O atual prefeito só culpando o governo e nada faz pela segurança”, ressaltou o socialista, que ainda culpou o Conselho Municipal de Segurança de atuar politicamente contra o governo do Estado.

Licença do vice

O candidato a vice-prefeito na chapa de Adriano Galdino é o deputado estadual Inácio Falcão (PT do B). Este tirou licença de quatro meses na Assembleia Legislativa, a partir de julho para tratamento de saúde. Perguntando sobre o fato, o candidato do PSB tentou minimizar. Disse que Falcão tem um problema congênito olho, consequência do diabetes, e fez uma cirurgia recentemente. “Por conta da doença, ele não tem participa de todos os eventos da campanha”, justificou Galdino.

Saúde

Em relação ao grande número de pessoas de outras cidades que são atendidas nos hospitais, clínicas e UPA de Campina Grande, Adriano Galdino disse que todas têm que ser atendidas pois as prefeituras pagam pelos procedimentos, a partir do sistema de pactuação. Para ele, o problema é o baixo valor pago pelos procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS).

São João

No que respeita ao Maior São João do Mundo, o prefeitável questionou o alto custo da festa. “O que não se pode é gastar R$ 15 milhões numa festa e no outro dia negar uma cirurgia para uma pessoa que está na beira da morte”, comparou Galdino. Ele também assinalou que o Parque do Povo, durante os festejos juninos, só é frequentado por ricos e turistas. “O parque não é mais do povo”, arrematou o candidato.

Próxima entrevista

O próximo candidato entrevistado será Walter Brito Neto (PEN), no sábado (24).

Saiba mais
Consulte a vida pregressa de todos os candidatos a prefeito e vereador da Paraíba
Link: