22 de setembro de 2016

Lobão defende o fim de incentivos fiscais para grandes empresas

lobao-2

Lobão falou sobre suas principais propostas (crédito: Reprodução/TV Paraíba)

O candidato a prefeito de Campina Grande, David Lobão (Psol), se posicionou contra os incentivos fiscais dados às empresas para se que elas se instalem na cidade. A declaração foi dada durante entrevista ao JPB 1ª edição, da TV Paraíba, nesta quinta-feira (22), onde o candidato também falou sobre alianças políticas, parcerias público-privadas, investimentos nas agremiações juninas e ainda a proposta de valorização do servidor público e o fim dos contratos de prestadores de serviços.

Questionado sobre qual seria sua proposta para as grandes empresas, o prefeitável foi categórico ao dizer que prefere incentivar microempresários. Lobão acredita que os grandes grupos empresariais são responsáveis pelo que ele chamou de falência do município. “É preciso quebrar a lógica atual de investimentos apenas para os grandes empresários. Com o apoio ao médio e pequeno empresário, invertendo a lógica, vamos mudar a nossa cidade”, disse Lobão.

Sem apoio político

A candidatura de David Lobão não tem apoio de outros partidos, fato que gera questionamentos quanto a capacidade de administrar sem contar com a participação efetiva da câmara de vereadores, por exemplo. O prefeitável garantiu que é possível conseguir a aprovação de projetos e disse que o Psol não tem histórico de envolvimento com casos de corrupção. “O maior legado do nosso partido é ter, no congresso nacional e em toda a sua militância, nenhum de nossos deputados citados na lava-jato ou em qualquer denúncia de corrupção. Tenho certeza que não tem câmara nenhuma que vai votar contra uma escola de qualidade”, pontuou.

Dívida pública

O candidato voltou a defender uma auditoria na dívida pública de Campina Grande como forma de controlar os gastos públicos e encerrar as parcerias público-privadas. “Se você faz uma auditoria na dívida pública e suspende esse pagamento, você passa a ter um bom dinheiro. As parcerias com o capital privado não nos fortalece, basta ver a saúde, onde em Campina Grande tem um dinheiro razoável e as parcerias dificultam nossa vida, porque levam uma boa grana pra fazer nos seus hospitais e vidas pessoais o seu enriquecimento”, explicou.

Transporte público

David Lobão também voltou a defender a implantação do passe livre para estudantes que comprovem baixa renda e para pessoas que estejam foram do mercado de trabalho. “Eu acho que um desempregado não tem como pagar transporte, é uma aberração você pegar uma pessoa que não está ganhando nada e obrigá-lo a pagar transporte coletivo. Não é correto pegar um estudante que tem que ir para a sua escola e o seu pai não tem um bom emprego e exigir que ele pague”, disse.

Ainda sobre transporte público, Lobão defendeu a criação de uma empresa pública municipal, responsável pelo gerenciamento dos transportes. Defendeu também que, enquanto essa empresa não seja construída, a prefeitura controle os lucros das empresas privadas com mais transparência, limitando a margem de lucros.

Poucos filiados

Um dos questionamento feitos ao candidato foi o fato de que o partido tem apenas 139 filiados em
Campina Grande. O que poderia resultar na falta de representatividade popular, o candidato justificou dizendo que o partido exige que o filiado tenha compromisso para atuar como militante. “O Psol tem um processo de organização que exige do seu filiado um conjunto de ações que difere dos outros partidos. Nós temos a necessidade de fazer as coisas coletivas, porque é assim que o mundo muda e o Psol se propõe a mudar o mundo e mudar Campina Grande”, frisou.

O Maior São João do Mundo

Lobão também defendeu mais investimentos no evento que já é conhecido como O Maior São João do Mundo, dando mais incentivos para as agremiações juninas e investindo no turismo local. “Nós defendemos que Campina Grande respire forró de janeiro a janeiro, transformar as quadrilhas juninas em escolas de forró. Fazer como grande atração do são joão, o desfile das escolas de forró, com forró enredo. Elas vão gerar emprego e renda. Temos que fazer com o são joão o que o Rio faz com o samba”, disse.

Sem prestadores de serviço

Outra medida que Lobão pretende colocar em prática, caso seja eleito, é acabar com os cargos de prestadores de serviços. O prefeitável defende duramente a realização de concursos públicos para constituir o quadro de servidores municipais. “Investir na contratação de profissionais concursados para atender a demanda da cidade. Precisamos valorizar o servidor. Contratar por concurso, jamais por indicação ou canetada de um governante”, finalizou.

Próximas entrevistas

Os próximos candidatos entrevistados serão Adriano Galdino (PSB), nesta sexta-feira (23); e Walter Brito Neto (PEN), no sábado (24).

Saiba mais

Consulte a vida pregressa de todos os candidatos a prefeito e vereador da Paraíba

Link:

http://eufiscal.jornaldaparaiba.com.br/radar_candidatos.php