20 de setembro de 2016

No JPB, Cartaxo evita respostas sobre obras não executadas

Cartaxo foi sabatinado (foto: reprodução/TV Cabo Branco)

Cartaxo foi sabatinado (foto: reprodução/TV Cabo Branco)

Angélica Nunes

Ao ser questionado sobre a não execução do projeto de BRT, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), jogou a culpa para o governo federal. O candidato à reeleição foi entrevistado nesta quarta-feira (21) no JPB 1ª Edição, da TV Cabo Branco, pelo apresentador Bruno Sakaue e o comentarista político Laerte Cerqueira. Outros projetos lançados no início da sua gestão e não realizados, como a revitalização do Porto do Capim, problemas na saúde da capital e desvios das obras da Lagoa também foram questionados ao prefeito.

BRT

A obra do BRT foi apresentada por Cartaxo no primeiro semestre do seu mandato como uma das principais obras de mobilidade. O projeto, no entanto, foi alvo de investigação do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), em 2014, por falhas na licitação. O candidato garantiu que todas as etapas de competência da Prefeitura de João Pessoa foram cumpridas e que a obra não saiu do papel por contingenciamento do governo federal. “Conseguimos elaborar o projeto, levar para Brasil e aprovar na Caixa Econômica, o que faltou foi a liberação dos recursos para o início das obras”, comentou.

Porto Capim

Com relação ao projeto de Revitalização do Porto do Capim, também anunciado por Cartaxo no início da sua gestão, o prefeito disse que o projeto foi apresentado, dentro do PAC Cidades Históricas, do Ministério do Planejamento, mas também não saiu do papel por contingenciamento de recursos federais.

Superfaturamento nas obras da Lagoa

O prefeito também foi questionado sobre as denúncias da Controladoria Geral da União (CGU), que apontou superfaturamento de R$ 9 milhões na revitalização da Lagoa do Parque Solon de Lucena, além de irregularidade na execução da obra, com a utilização de motos e carros de passeio para a retirada da lama. Cartaxo disse que a Prefeitura prestou todos os esclarecimentos à CGU e que tem relatórios do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica comprovando que a obra foi executada corretamente. O candidato, ainda, atribuiu as denúncias à intriga da oposição. “Nunca se conformou que a gente tenha entregue a Lagoa dentro do prazo estabelecido”, comentou.

Gestão da saúde

A fila de espera para atendimento no Ortotrauma de Mangabeira foi um dos principais questionamentos da área da saúde. Cartaxo disse ter clareza que saúde é um investimento que tem que ser feito a cada dia e prometeu melhorar o atendimento, caso seja eleito. Além da UPA Cruz das Armas, o prefeito disse que deve abrir uma UPA nos Bancários, com especialidade em ortopedia, exatamente para reduzir a demanda no Trauminha de Mangabeira. “estamos investindo na contratação de Mais Médicos, ampliamos o número de cirurgia e de salas de cirurgias, diminuindo o tempo de distância”, assegurou.

Nepotismo

Questionado, Cartaxo voltou a falar sobre a posse da irmã dele para a secretaria da Saúde, via concurso, mas não explicou se considera nepotismo ela ter sido nomeada para um cargo comissionado. Segundo ele, o concurso público é uma marca da nossa gestão. “Só na área da saúde eu nomeei 700 profissionais”, se limitou a responder.

Mobilidade

Um dos principais problemas atuais da capital, a falta de mobilidade urbana também foi alvo de questionamento dos entrevistadores. O prefeito disse que vai continuar procurando ajuda da bancada federal da Paraíba para buscar mais recursos e lembrou que ampliou de 2 km para 20 km de faixas exclusivas de ônibus e que tem conseguido renovar anualmente a frota, que tem idade média de 4 anos e meio. “Vamos inevstir em ciclovia e calçadas e em pavimentalção. Fizemos 200 ruas, temos 50 licitadas e outras 50 a serem licitadas”, afirmou.

Eleições 2018

Cotado para disputar a eleição de governador do estado, Luciano Cartaxo foi evasivo sobre possibilidade de não concluir o mandato para concorrer no pleito de 2018. O prefeito lembrou que foi vereador por quatro mandatos consecutivos, vice-governador, deputado estadual e prefeito, sempre com o compromisso de servir à sua cidade de João Pessoa.

Novas entrevistas

As entrevistas seguem nesta quarta-feira (21), com o candidato do PSOL, Victor Hugo. O Professor Charliton (PT) encerra a rodada na quinta-feira (22).

Debate na TV Cabo Branco

No dia 29 de setembro, os candidatos ficarão frente a frente no tradicional debate das TVs Cabo Branco e Paraíba. Será o último e decisivo confronto de ideias antes das eleições, que acontecerão no dia 2 de outubro. Na capital, o mediador será o jornalista Fábio William (Globo Brasília). Caso haja segundo turno, um novo embate está marcado para o dia 28 de outubro.