19 de setembro de 2016

Romero decide não realizar carreatas como evento de campanha

O prefeito e candidato à reeleição, Romero Rodrigues (PSDB), pela coligação “Por amor a Campina”, anunciou na noite de domingo (18) que não vai realizar carreata como evento de campanha. A decisão foi tomada durante reunião com a coordenação de campanha e o principal motivo foi não atrapalhar a mobilidade urbana da cidade. Uma nota foi divulgada explicando todos os motivos pela não realização da carreata.

De acordo com a nota, a coordenação de campanha acredita que eventos como carreatas podem atrapalhar a mobilidade das pessoas, “não temos o direito de interferir, perturbar ou simplesmente alterar a rotina dos cidadãos para atender nossos interesses eleitorais”, diz a nota, justificando ainda que “os custos econômicos envolvendo a realização de uma carreata, para a própria militância e a campanha, tornaram-se proibitivos e desnecessários”.

Por fim, a nota diz que essa foi uma decisão correta e que a coordenação de campanha espera a compreensão de todos os militantes e eleitores. “Estamos convencidos de que nossa decisão representa a melhor escolha em favor da cidade. Sabemos, também, que haverá questionamentos na própria militância e entre aqueles que ainda apostam nesse tipo de aventura arriscada numa campanha. Mas não temos dúvidas de que alcançaremos a compreensão de todos os que amam verdadeiramente Campina Grande e respeitam o seu povo”, finaliza.

Confira nota da coordenação de campanha de Romero Rodrigues

O Brasil vem sofrendo um processo de mudanças profundas nos últimos anos. Não é possível imaginar, por exemplo, que os padrões de sempre das campanhas possam ser aplicados nos dias de hoje, como se não fosse necessário fazer a leitura correta sobre o que realmente interessa às pessoas, neste momento em que classe política, instituições e parâmetros da vida pública são sistematicamente questionados.

Em nossa modesta campanha este ano, desde o início, optamos pelo caminho da serenidade, da parcimônia, da maturidade e da sensatez. De forma pioneira, decidimos suspender toda e qualquer mobilização no centro da cidade, antes mesmo de haver um entendimento da Justiça Eleitoral nesse sentido. A razão é simples: não temos o direito de interferir, perturbar ou simplesmente alterar a rotina dos cidadãos para atender nossos interesses eleitorais.

De maneira ousada e mais uma vez marcada pelo pioneirismo, decidimos também não realizar, este ano, as tradicionais carreatas – eventos que até podem atender alguns objetivos específicos das campanhas, mas que sempre foram marcados por uma natural polêmica à luz da cidadania. Num exercício de autocrítica, registre-se que a tradição política sempre foi de se optar em ver o próprio umbigo, em detrimento do bem-estar coletivo, em casos como esse.

Pois bem, contrariando qualquer lógica dos que vêm as carreatas como instrumentos positivos de divulgação de candidaturas, estamos optando por abrir mão desse recurso – e temos sobrados motivos para isso. Compreendemos que as pessoas têm o direito de não serem importunadas em suas rotinas; de que o trânsito da cidade, mesmo num dia como o domingo, não precisa se transformar num palco para um show de irregularidades de todos os tipos; que problemas como poluição sonora ou sujeira das vias públicas não justificam qualquer ataque ao meio ambiente e que até os custos econômicos envolvendo a realização de uma carreata, para a própria militância e a campanha, tornaram-se proibitivos e desnecessários.

Estamos convencidos de que nossa decisão representa a melhor escolha em favor da cidade. Sabemos, também, que haverá questionamentos na própria militância e entre aqueles que ainda apostam nesse tipo de aventura arriscada numa campanha. Mas não temos dúvidas de que alcançaremos a compreensão de todos os que amam verdadeiramente Campina Grande e respeitam o seu povo.

Se esses não forem os princípios a nos nortearem, então qual o sentido de nossas candidaturas?

Romero Rodrigues